terça-feira, 7 de maio de 2019

Cão Barney é cremado com honrarias em cerimônia na Grande Florianópolis

Labrador do Corpo de Bombeiros morreu enquanto buscava vítima em rio em Içara

A manhã desta segunda-feira (6) foi marcada pela comoção de militares e civis durante o velório do cão de busca e resgate Barney. A cerimônia ocorreu no crematório para animais Garden Pet, no bairro Praia Comprida, em São José.
Atuante no Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina desde 2016, o labrador morreu na sexta-feira (3), após entrar em um rio em Içara, no Sul do Estado, durante buscas por um homem que segue desaparecido.
Esta foi a primeira vez que um cão da corporação morreu durante uma ocorrência no Estado.
Barney foi homenageado antes de cremação – Mônica Andrade/ND
Para o velório, bombeiros militares de diversos batalhões se deslocaram até a Grande Florianópolis para prestar a última homenagem ao cão, e também apoiar o tutor dele, o soldado Luciano Warth S. Rangel, que está bastante fragilizado.
A família do soldado, que acompanhou toda a trajetória de trabalho e treinamento com o cão, também esteva presente.
Barney recebeu honrarias dignas aos três anos em que trabalhou na busca e resgate de pessoas. Além das flores, ele foi velado com sua coleira-guia, usada nas ações de busca.
A bandeira de Santa Catarina foi colocada sobre o animal, em homenagem às vítimas catarinenses que foram localizadas por ele. Barney também trabalhou na força-tarefa após a tragédia de Brumadinho, Minas Gerais, em janeiro deste ano.

Comandante e subcomandante do Corpo de Bombeiros Militar prestam
 homenagem ao cão Barney – Mônica Andrade ND
A cerimônia foi aberta por uma funcionária do crematório de animais, seguida pela declaração do comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Edupércio Pratts.
“Este é um momento triste, mas também de reconhecimento e homenagem ao trabalho dos militares com os cães da corporação”, disse o comandante da corporação, que é referência internacional em cinotecnia.
Novo filhote será treinado pelo soldado Rangel
Em meio ao sentimento de tristeza, uma boa notícia. O subcomandante-geral, coronel Charles Alexandre Vieira, anunciou que um novo filhote de labrador será deslocado dos Estados Unidos para ser treinado pelo soldado Rangel, em reconhecimento ao trabalho prestado pelo bombeiro e cinotécnico.
Ao final, o soldado agradeceu as homenagens e a presença dos colegas de farda, mas não conseguiu falar por muito tempo. Emocionado, Rangel recordou um trecho da “oração de um cão de busca”, do Corpo de Bombeiros:
“Senhor Deus dos humanos, se um dia ou uma noite, quando a sombra da morte rondar e estivermos juntos, eu e meu condutor, se um de nós tiver que sacrificar a vida, que seja a minha”.
Em meio a lágrimas, o soldado declarou que irá honrar o legado do parceiro de trabalho e membro da família. “Barney era um irmão pra mim, um amigo que nunca irei esquecer. Seu nome será lembrado, ele não perdeu a vida em vão”, afirmou emocionado.

Parceiros de vida

No Corpo de Bombeiros Militar, a dupla de bombeiro e cão de busca é chamada de “binômio”. A partir do momento que o condutor assume a função, após ser certificado como cinotécnico, passa a conviver 24h com o cachorro, com treinamentos diários e inclusive aos finais de semana.
Soldado Rangel e o cão Barney durante a certificação em Xanxerê, em Santa Catarina – CBMSC/Divulgação/ND
Ainda filhote, com cerca de três a quatro meses, o cão passa a morar com o condutor e recebe os primeiros ensinamentos. Barney chegou em Lages em janeiro de 2016 e foi entregue ao soldado Rangel, com quem conviveu, foi aprovado em provas de Certificação Nacional de Cães e recebeu premiações.
A primeira certificação de Barney ocorreu na cidade de Xanxerê, em abril de 2017. O soldado Josclei Tracz, condutor do cão Iron e cinotécnico desde 2015, participou das provas junto com o “binômio” Barney e Rangel.
Mesmo com a distância, Josclei enfrentou quase sete horas de carro e foi ao velório do cão, que viu crescer desde os primeiros treinamentos.
“É difícil descrever o sentimento, é muito triste perder um cão desta forma. Para nós, condutores, os cães não são apenas companheiros de trabalho, nós moramos com eles, são um membro da família”, explicou o bombeiro, que também é veterinário.
“Nada vai tirar a dor que nosso amigo Rangel está sentindo, mas me sinto melhor por vir até aqui e prestar minha solidariedade a ele, que é um excelente profissional. Esperamos que ele supere essa tragédia e volte a treinar em breve”, concluiu.

Moção de aplausos

Com apenas três anos, Barney já tinha recebido prêmios por sua atuação com o soldado Rangel. Em 12 de dezembro de 2018, bombeiros de Lages receberam uma moção de reconhecimento na Alesc (Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina).
Soldado Rangel, cão Barney e deputado estadual Gabriel Ribeiro, em dezembro de 2018. – Soldado Jacques CBMSC/Reprodução ND
O ato foi uma homenagem ao trabalho realizado pelos bombeiros em uma ocorrência atendida em Bocaina do Sul, no resgate de um rapaz em área de vegetação. A vítima estava com um grupo de amigos, quando se perdeu em uma trilha e caiu em um local de difícil acesso, com cerca de 40 metros de altura.
A área de grande desnível possuía pedras e árvores que prejudicavam o acesso. Com uso de um tripé de salvamento e auxílio do cão de busca e resgate Barney, a vítima foi retirada do local, infelizmente já sem vida. A operação de resgate durou aproximadamente 12 horas.

Brumadinho

Soldado Rangel e Barney também fizeram parte da equipe de força-tarefa em Brumadinho, em Minas Gerais. Após a tragédia ocorrida em 25 de janeiro, com o rompimento da mina Córrego do Feijão, bombeiros de Santa Catarina foram acionados para auxílio na busca de vítimas.
Mensagem publicada pelo governador do Estado neste sábado. – Twitter/Reprodução ND
O cão de busca Barney viajou de Lages até Minas Gerais por duas vezes e indicou a localização de diversas vítimas soterradas na lama.
Em fevereiro deste ano, o governador do Estado, Carlos Moisés, acompanhado da vice-governadora, Daniela Reinehr, receberam a primeira equipe da força-tarefa para condecorações. Barney não esteve presente porque já tinha voltado a Brumadinho para novas buscas, mas foi um dos homenageados.

O acidente

Na noite de sexta-feira (3), a guarnição do 5º BBM foi acionada para buscas na região de um rio em Içara, para localizar um homem que estava desaparecido.
A vítima havia deixado a bicicleta próxima ao rio, o que poderia ser um indício de que ele teria entrado na água. Os bombeiros, então, iniciaram as buscas com um bote salva-vidas.
De acordo com o tenente Ian Triska, o labrador não foi incentivado a entrar no rio, mas por adorar o contato com água, Barney entrou sem a ordem do condutor.
“O cão nunca pula na água, ele late e aponta. Para ele, fazer a busca é como uma brincadeira, então ele se jogou e acabou ficando preso entre os galhos de árvore e lixo que estavam no rio”, lamentou Triska.
Corpo do labrador estava submerso, em meio a galhos – CBMSC/Divulgação
As buscas por Barney foram iniciadas assim que ele submergiu e não voltou mais, ainda na noite de sexta-feira, se estendendo durante todo o sábado (4) e domingo (5). Os trabalhos contaram com botes, drone e mergulhadores.
O corpo de Barney foi encontrado por volta das 13h de domingo, em outro ponto do rio, após ser levado pela correnteza, ainda submerso e preso entre galhos.

0 comentários:

Postar um comentário

INSERT DIGITAL

PRÓ-SAÚDE - CLÍNICA MÉDICA EM UAUÁ

Grupo Santa Bárbara

POYNTNET - Provedor de Qualidade

PAX UAUÁ