Portal UauáWeb - Notícias em ação!

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020

Fanatismo político é uma doença degenerativa da mente e da alma. Pense nisso.

Resultado de imagem para fanatismo político frasesCarlos Newton
Os brasileiros estão sofrendo mais uma epidemia de fanatismo, esta estranha doença degenerativa da mente e da alma. Até recentemente, era Deus no céu e Lula da Silva na terra. E o líder petista incentivava esse culto à personalidade, chegando a dizer que nem era mais uma pessoa, porque já havia se transformado numa “entidade”.
“ENVIADO DE DEUS” – Agora, Jair Bolsonaro vai pelo mesmo caminho e na semana passada ele próprio divulgou a entrevista de um pastor franco-congolês, anunciando que o capitão havia sido “escolhido por Deus” para salvar o Brasil.
Já tínhamos ouvido falar que Deus é brasileiro, mas não sabíamos que se dividia em dois para atender às preferências dos eleitores locais.
Hoje vai haver a grande manifestação doS admiradores de Bolsonaro, em mais de 300 cidades. Será uma espécie de terceiro turno, como diz o jornalista e advogado José Carlos Werneck, que conhece como poucos os bastidores do poder.
CONTRA E A FAVOR – Werneck chegou a escrever uma convocação para que as pessoas saiam às ruas e manifestem seu inconformismo em relação ao Supremo e ao Congresso, embora ele próprio faça restrições ao governo Bolsonaro, especialmente no tocante à atuação dos ministros Paulo Guedes, Damares Alves e Abraham Weintraub, que a seu ver são mais indigestos.
Ninguém sabe o que vai acontecer. Pode ser que haja uma supermanifestação nacional, que politicamente seria consagradora para o presidente da República e seu filho Carlos Bolsonaro, o Zero Dois, que tem o condão de manejar as redes sociais.
Mas há possibilidade de ser um evento de porte médio, tipo as passeatas universitárias do último dia 15, sem maiores repercussões. Ou até mesmo ser um fracasso monumental, que balance o coreto de Bolsonaro e faça com que desista definitivamente de sofrer influência dos filhos e do guru virginiano Olavo de Carvalho, que formam uma nova versão dos três mosqueteiros que eram quatro.
THE DAY AFTER – Como ocorre no cinema, às vezes o importante é o dia seguinte. No caso desta manifestação pró-Bolsonaro, já se sabe que – seja sucesso ou fracasso – a iniciativa não terá resultado algum, porque o Supremo não está nem aí e o Congresso continuará na dele, buscando uma versão menos traumática e ensandecida da reforma da Previdência, uma alternativa ansiada pelo próprio Bolsonaro, que já percebeu que o ministro Paulo Guedes não é totalmente confiável, muito pelo contrário.
Para quem sabe ler nas entrelinhas, a entrevista concedida à Veja diz tudo, é uma prato feito de vaidades. Ao tomar conhecimento das declarações, Bolsonaro deu-lhe uma resposta à altura, ao dizer que no governo dele ninguém é obrigado a ser ministro.
###
P.S.
 – Pensando bem, se Guedes pedisse o boné e fosse logo morar “lá fora”, como está ameaçando ridiculamente, com toda certeza ele se transformaria numa ausência que preencheria uma lacuna. Infelizmente, porém, o ministro não pode se demitir, porque perderá o foro especial no Supremo.
P.S. 2 – Como se sabe, Guedes está sendo investigado pelo Ministério Público do Estado do Rio e pelo Tribunal de Contas da União, devido aos golpes que deu ao aplicar recursos dos fundos de pensão em ativos criados por ele próprio, antes de ser nomeado ministro. Portanto, Guedes jamais pedirá demissão. É tudo conversa fiada. Desse jeito, pode até ganhar o Oscar de Ator Coadjuvante.  (C.N.)


0 comentários:

Postar um comentário

ATENÇÃO: Os comentários escritos abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso Portal. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Pizzaria Brasiliana - qualidade marcante, sabor dominante!

INSERT DIGITAL

PRÓ-SAÚDE - CLÍNICA MÉDICA EM UAUÁ

Grupo Santa Bárbara

POYNTNET - Provedor de Qualidade

PAX UAUÁ